projeto_quintais

Projeto estimula produção de alimentos orgânicos, na região

As mais de 90 mudas de frutíferas recém-plantadas pela estudante Franciele Luísa Uhlmann, 18 anos, na propriedade em Linha 25 de Julho, em Vila Santa Emília, formam um dos 186 quintais espalhados por 12 municípios da região, ao longo dos últimos nove anos, em um trabalho que busca incentivar a produção e o consumo de alimentos saudáveis e sem agrotóxicos.

As árvores frutíferas, sementes de milho e feijão e plantas medicinais recebidas há cerca de duas semanas integram um kit do projeto Quintais Orgânicos de Frutas. Idealizada pela Embrapa Clima Temperado, de Pelotas, e financiada, neste ano pela Philip Morris do Brasil, a iniciativa contempla alunos da Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul (Efasc), desde 2011.

Nesse período, 19 venâncio-airenses já receberam as mudas. Franciele já tinha o desejo de participar do projeto em outras edições. Neste ano, obteve a ‘liberação’ do pai para utilizar uma área de 1,5 mil metros quadrados para o plantio e integrou o grupo de 30 alunos da região beneficiados com as árvores. ‘Além do interesse do jovem, é preciso ter um espaço disponível para o quintal’, explica ela, que conta com a ajuda da mãe Roseli Antoni, 48 anos, para o cultivo das plantas.

Esse projeto contribui com a compreensão que temos a respeito da diversificação na agricultura familiar no Vale do Rio Pardo, na produção de alimentos saudáveis, livres de venenos, que garanta saúde às famílias, bem como às pessoas que forem comprar esses alimentos“, João Paulo Reis Costa, coordenador institucional da Efasc.

Seguindo orientações recebidas na entrega dos kits e o aprendizado obtido ao longo do curso técnico em Agricultura, na Efasc, Franciele quer aproveitar o espaço do quintal da melhor forma possível, focando a produção agroecológica. Se, de um lado, a plantação é cercada pelo mato, de outro, carreiras de cana-de-açúcar vão formar uma barreira natural para evitar que o agrotóxico utilizado em plantações vizinhas de tabaco chegue aos alimentos.

Canteiros intermediários, bem como espaço entre uma e outra árvore, serão aproveitados para culturas anuais, como milho, feijão e aipim, além de hortaliças. ‘Estamos fazendo um experimento de produção’, explica a estudante, que, recentemente, começou a integrar o grupo Eco da Vida, que comercializa produtos orgânicos, em feiras nas manhãs de sábado e quarta-feira, na Comunidade Santa Rita de Cássia, no bairro Gressler.

Para além da venda dos alimentos, Franciele acredita que o Quintal Orgânico trará benefícios para a própria família. O coordenador institucional da Efasc, professor João Paulo Reis Costa, salienta que o projeto, justamente, reforça o compromisso da instituição de promover saúde, por meio dos alimentos.

‘Amplia-se o consumo de frutas orgânicas, o que impacta diretamente na saúde do agricultor. Além disso, o projeto mostra um potencial muito grande de agregar renda na propriedade, pois a fruta pode ser comercializada in natura, bem como pode ser transforma em sucos, geleias ou compotas’, comenta.

>> 95 mudas de frutíferas integram o kit do Quintal Orgânico, incluindo árvores de laranja, romã, amora, jabuticaba, pitanga, caqui e pêssego, entre outras. Além das árvores, os estudantes recebem sementes de milho, feijão, mudas de batata-doce, capim-elefante e 12 espécies de plantas medicinais, como chás, alecrim e sálvia, produzidas na Efasc.

>> 17 Quintais Orgânicos de Frutas foram implantados, em Venâncio Aires, desde 2011. Ao todo, são 186 quintais na região, o que representa uma área plantada de 30 hectares de frutíferas.

Folha do Mate

No Comments

Post a Comment