caixa_agua

Caixa d’água solar reduz em 30% custo da luz em comunidades mineiras

Desde 2015, Programa Energia Inteligente instalou mais de 15 mil aquecedores solares em conjuntos habitacionais do Estado.

Uma caixa d’água, que já vem com coletores solares acoplados, foi a solução encontrada pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) para levar eficiência energética a 400 casas de famílias de baixa renda em comunidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Um dispositivo de captação de raios solares é interligado ao chuveiro elétrico. O reservatório é de 160 litros e pode ser instalado em telhado, lajes ou postes no jardim ou quintal.

A redução é de 40 kWh/mês no consumo e de 30% no preço da conta de luz, mensalmente, se comparado ao que era gasto anteriormente pelas casas selecionadas para o projeto nas comunidades Cabana do Pai Tomás, Madre Gertrudes, na região Oeste; Vila Ipê, na região Nordeste, Eliana Silva; no Barreiro, e Nova Contagem, em Contagem.

“Como os telhados não suportavam o peso das instalações disponíveis no mercado, percebemos que era preciso algo mais leve e prático, de fácil instalação”, conta o coordenador do projeto, Cristiano Magalhães Costa, da Superintendência de Tecnologia e Gerência de Eficiência Energética (STE/EE) da Cemig.

A ideia foi estimular o mercado de aquecimento solar para essa demanda, em parceria com a empresa Rewatt, que desenvolveu os equipamentos de caixas d’água e chuveiros especiais, dentro do novo conceito. O investimento foi de R$ 900 mil para viabilizar a experiência piloto. A projeção é a de que possam ser comercializadas em breve ao preço e R$ 1,2 mil.

Desde 2015, o Programa Energia Inteligente instalou mais de 15 mil aquecedores solares em conjuntos habitacionais de Minas Gerais. Dos 864 municípios mineiros, 565 são beneficiados com os recursos destinados à essas iniciativas. Os projetos são voltados para clientes de baixa renda, entidades sem fins lucrativos, prefeituras, hospitais, iniciativa privada e para a área de educação, de acordo com as normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). E o melhor de tudo isso é que o banho pode ser um pouco mais demorado e bem menos caro.

Jornal GGN