Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Fundação Verde lança campanha permanente contra o feminicídio e ratifica sua missão de formar e difundir o ideário verde

Durante Convenção Nacional do PV, membros da Fundação apresentaram a revista de debates Pensar Verde e reafirmaram o compromisso de ser instrumento da ecologia política no país.

Formar e informar. Funções primordiais da Fundação Verde Herbert Daniel, corroboradas pelas falas dos membros do Conselho Curador da Fundação, Ivanilson Gomes e José Carlos Lima. Sob o tema ‘Existência Verde, Compromisso Partidário Permanente’, todos os assuntos da convenção partidárias giraram em torno dessa temática.

Ivanilson, presidente do Conselho Curador da Fundação, expressou o compromisso com o fortalecimento da missão dos verdes de colaborar para que o país se desenvolva de forma mais sustentável. Além disso, Ivanilson lançou a campanha permanente de combate ao feminicídio com a cartilha ‘PV e Fundação no combate ao feminicídio’ e pediu a todos os presentes engajamento na campanha.

José Carlos Lima, diretor executivo da Fundação, resumiu o trabalho da Fundação de formar e informar: “é preciso equilibrar essas duas atribuições. Todos os materiais produzidos pela Fundação vão nessa direção, como a revista Pensar Verde, além das cartilhas e dos projetos ofertados aos verdes”. Ele enalteceu a existência verde – lema da Convenção – e afirmou que se trata da discussão da vida e da existência de todos os sistemas vivos, bem como a do Partido Verde, que se coloca como um instrumento de defesa da vida. “A existência verde é a própria razão de ser, mas o atual sistema político nos empurra para o imediatismo”.

Brumadinho – José Carlos relembrou a tragédia de Brumadinho e, em alusão à sirene que não tocou deixando de alertar a população sobre a tragédia, o diretor afirmou que ainda em 2015, com a tragédia de Mariana, outro tipo de sirene é que não foi ouvida, causando o desastre socioambiental em Brumadinho. “Não foi apenas a sirene de Brumadinho ou de Mariana que não ouvimos, mas os milhares de aviso indicando que o sistema atual está em colapso, de um modo geral ele está se chocando com a finitude do sistema natural”, explicou.

O diretor ainda reiterou que todos os estudos realizados para evitar que a barragem se rompesse “sucumbiram diante da necessidade da empresa (Vale) de produzir commodities para disputar mercado internacional e fazer com que investidores tivessem o lucro permanente que precisam ter”.

Em seguida, em um momento marcante, Caio Júlio, presidente do PV em Brumadinho (MG), tomou posse do microfone e, em uma fala emocionada, relembrou a tragédia socioambiental ocorrida há exato um mês, responsável pela morte de 179 pessoas e 131 desaparecidos. “Para a população de Brumadinho essa foi a pior perda que já houve. Amigos, pessoas que cresceram conosco, todas sumiram”.

Para Caio Júlio, o rompimento causado pela mineradora Vale é decorrente de um processo que trata tanto da exploração mineral quanto da negligência dos licenciamentos ambientais. “Os órgãos ambientais foram tão culpados por essa tragédia quanto os empreendedores e consultores da empresa”.

Deliberações – A Convenção Nacional do Partido Verde, ocorrida no último sábado (23), focou na sustentabilidade e na afirmação do PV como um instrumento de defesa da ecologia política. Durante a Convenção, houve votação dos dirigentes nacionais e recondução de Luiz Penna ao cargo de presidente nacional. Além disso, os presentes aprovaram o Estatuto partidário e a Nota Oficial sobre a crise na Venezuela. Prioridades para enfrentar o atual cenário político foram definidas e bem como o avanço na democratização do Partido foi consolidado.

CONTATO

ASSINAR E-MAIL

Inscreva-se com seu endereço de e-mail para receber notícias e atualizações.

© 2020 Lavorare / websytes

Pesquisar